Páginas

terça-feira, 15 de março de 2011

Gentileza e sensibilidade no desenvolvimento de meninos

.  .
Há algum tempo, li um post no blog da Rede Mulher e Mãe que tem me feito pensar muito na diferença que existe entre a educação de meninos e de meninas. Garotos são criados para serem fortes, corajosos, confiantes, para não demonstrarem emoção, para serem heróis e conquistadores. Por mais que a mulher tenha conquistado cada vez mais espaço de igualdade e que já exista um entendimento mais amplo do que aquela história de sexo frágil não é bem assim, ainda vemos muitos tabus na criação de meninos e meninas, mesmo com mães da nova geração.
Este trecho do artigo do Clic Filhos exemplifica muito bem o que quero dizer: “Se uma menina chega em casa chorando, dizendo que um colega brigou com ela, os pais a pegam no colo, fazem carinho e se mostram compreensivos. Quando é o menino que volta chorando pelo mesmo motivo, os pais já ficam bravos, dizendo que ele tem que se defender e bater no outro.”Não acho que mulheres e homens são totalmente iguais, mesmo porque existem diferenças físicas e psicológicas. Por exemplo, homens são mais fortes – têm musculatura diferente – e têm hormônios diferentes também. E isso com certeza vai influenciar sua personalidade, comportamento e atividades.

A minha inquietação é quanto a conseguir ultrapassar certos tabus na educação de meninos. Aceitar que eles podem ser sensíveis, ter compaixão, elogiar, ser gentis. Como podemos fazer isso, como podemos proporcionar uma educação que os permita serem livres para se desenvolverem, incluindo suas características emocionais e de personalidade? Até porque isso não depende só do que nós, as mães, acreditamos e fazemos. Depende também de toda a aceitação da sociedade e de outras influências que eles terão no convívio social, coisas que às vezes fogem ao nosso controle.

Sei que nossos exemplos influenciam o comportamento das crianças e que podemos estimular neles os valores em que acreditamos. Mas essa resposta eu não tenho inteira, e nem encontrei nas minhas pesquisas por aí. Por isso queria ouvir de vocês: como podemos quebrar os tabus ao educar meninos?  Eu, particularmente, acho que todos nós temos muito a lucrar num mundo que valorize mais gentileza e sensibilidade.
Você já escutou as pessoas dizendo que quem fala muito de coisas boas e que prega o bem geral e que tenta seguir regras politicamente corretas não é confiável? Ou Quem é bom demais dá para desconfiar!  Ou Que fica com o pé atrás de quem só fala das coisas certas?
Pois é, eu também já! Eu não gosto e respondendo por mim, eu explico que não ajo assim só por agir ou só porque desejo me exibir, faço porque realmente acredito que falar e ser bom são qualidades positivas que devem ser cultuadas, portanto eu parto do princípio que os que falam assim também são autênticos e verdadeiros! É aquela velha história de não pré-julgar alguém. Se por acaso você realmente perceber que a pessoa de fato não é boa, daí é outra história, o problema não é seu, mas sim da pessoa e ela colherá seus próprios frutos. Você seguirá seu caminho de forma tranquila.
Vocês já pararam para pensar que é muito triste desconfiar do bem? Por quê partir do ponto de vista que todos estão enganando uns aos outros?  Nem sempre isso é verdade, por isso eu acho que vale a pena pensar que ainda existem pessoas boas no mundo. Quando você pensa que todos estão escondendo alguma coisa e que nos relacionamentos que você toma parte as pessoas não são totalmente verdadeiras, você atrairá situações exatas oriundas daquilo que você acredita, então, obviamente no final você vai dizer:
 “Viu como eu tinha razão?” – Somente para reforçar ainda mais essa ideia errada e daí você nunca mais tenta de novo, pois segue acreditando que o mundo não tem jeito mesmo, para que perder tempo, afinal!
Quando se pegar pensando assim, tente alterar o pensamento dando uma chance para a bondade, somente para variar um pouco a sua atitude. Até agora fez de um jeito, certo? Você julgou e desconfiou e o que ganhou de bom com isso? Por isso, tente fazer diferente: Pense comigo: Se todos falarem que o mundo está tomado pela maldade, a maldade se expandirá até tomar conta de tudo.  Portanto, para vencer esse pensamento, escolha atitudes que permitam ficar receptivo e aberto para alterar os rumos da sua vida. Isso acontece toda a vez que parar de generalizar negativamente e escolher a observação das ações para, então, alterá-las optando por aquelas que te levarão a objetivos ligados ao bem.
Por quê não? Não tenha vergonha de ser bom ou de acreditar que a bondade ainda é a melhor escolha.
 
 
 

2 comentários:

  1. ola passando aqui pra dizer que amei o blog ta muito show e virei seu seguidor se quiser seguir o meu agradeço abraços e sucesoss na vida
    tenha um bom dia!!!!
    http://audienciadatvrealtimes.blogspot.com/

    ResponderExcluir