Páginas

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Quando o homem recusa a camisinha

Às vezes um homem e uma mulher se conhecem numa festa e "rola o maior clima". Abraços, beijos e um tesão irresistível. Acabam num motel e aí começa o problema. Ele se recusa a usar a camisinha. A mulher muitas vezes insiste, mas quase nenhuma tem coragem de interromper tudo ali mesmo e ir para casa.

A maioria acaba cedendo, principalmente se estiver interessada no parceiro. O temor de desagradá-lo e de ele desaparecer do cenário fala mais alto.
Por mais que todos saibam que a Aids ainda não tem cura, e que qualquer pessoa com uma vida sexual ativa está sujeita à contaminação pelo vírus HIV, é enorme o número de pessoas que faz sexo sem preservativos.

Parece existir uma negação coletiva em relação aos perigos envolvidos, manifestada no pensamento mágico tipo "nunca vai acontecer comigo". Coisa semelhante acontece com o cigarro. Apesar de ninguém duvidar que provoca a morte, muitos continuam fumando.
Mas, afinal, qual é o problema do homem com a camisinha?

Acredito que esse horror que muitos declaram ao uso da camisinha esteja encobrindo a ansiedade que sentem quanto ao desempenho sexual, mais precisamente em relação à ereção do pênis. A desculpa mais usada é a de que com o uso da camisinha diminuem as sensações de prazer na penetração. Somente alguns confessam constrangidos que interromper os carinhos preliminares, para colocar a camisinha, faz com que percam a ereção.
Outra situação que se torna cada vez mais comum é a contaminação de mulheres casadas, pelos próprios maridos. Nesse caso, a recusa em usar a camisinha é o medo de deixar claro o não cumprimento do pacto de exclusividade sexual.

Além disso, muitos desses maridos são bissexuais e sempre esconderam isso de todos, por ser alvo de preconceitos.
Não é difícil concluir, então, que o aumento de casos de Aids entre pessoas heterossexuais se deve, em última instância, ao submetimento à moral imposta na nossa sociedade. O homem deve corresponder ao ideal masculino de nunca falhar.

Daí sua ansiedade e preocupação com a ereção. A mulher é ensinada a sempre corresponder à expectativa masculina e acaba aceitando fazer sexo sem camisinha para não decepcionar o parceiro.
No caso do casamento a moral sexual é mais prejudicial ainda. A ideologia da fidelidade conjugal impede que o homem use preservativos com a esposa. Isso acarretaria problemas afetivos dificilmente contornáveis.


2 comentários:

  1. Olá, blogueira!
    A melhor prevenção é a informação e usando a camisinha, todos curtem melhor a vida e sem preocupação. Homens e mulheres, de qualquer idade, orientação sexual ou classe social são vulneráveis ao vírus HIV e a outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Obrigado por divulgar informações e conscientizar mais pessoas sobre as formas de contágio e prevenção de DSTs. A camisinha é segura e a maior aliada nesse combate. Ela é distribuída gratuitamente na rede pública de saúde.
    Curta a vida. Sexo, só se for com camisinha, senão não dá! Com amor, paixão ou só sexo mesmo. Use sempre!
    Para mais informações: http://www.camisinhaeuvou.com.br/, http://www.aids.gov.br ou http://www.formspring.me/minsaude
    Siga-nos no Twitter: http://twitter.com/minsaude
    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com vc sem por e nem tirar suas palavras .Usar camisinha sempreeeeeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir