Páginas

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

"DESCULPAS DE MARIDOS PARA AS AMANTES"

.
Quando as amantes pressionam o bonitão...cansadas de comemorar natal dia 27 ou quando der,de torcer para o aniversário cair dia de semana,porque sábado,domingo e feriado,são datas que não constam em calendarios de homens casados("aqueles"casados que já estão se separando,claro,só a esposa ainda que não sabe que ele "pretende"se separar um dia),as desculpas são óbvias,irritantes e previsivéis,mais ou menos assim :

CRISTIANE CRISTINA- Mário Augusto,querido...estamos juntos há quatro anos...vc já resolveu seu divórcio?
MÁRIO AUGUSTO- Cristiane Cristina minha querida,já te disse que seria difícil,ela é muito frágil,dependente,tenha um pouco de paciência...

CRISTIANE CRISTINA- Mário Augusto,meu aniversário vai cair no sábado,como vamos fazer para comemorar?
MÁRIO AUGUSTO- Cristiane Cristina,vc sabe que datas não são importantes,que eu não dou a mínima para datas,o que importa é que iremos comemorar seu aniversário assim que der.

CRISTIANE CRISTINA- Mário Augusto,queria tanto passar um final de semana com vc!
MÁRIO AUGUSTO- Ah amor,vc sabe que passamos momentos muito mais importantes que um "simples" final de semana,o que importa é que o que dou para vc minha esposa nunca teve,vc é quem realmente importa na minha vida...

CRISTIANE CRISTINA- Mário Augustooooooo!! já estou ficando cansada de ser apresentada pela minha profissão,de ter que ir em restaurantes onde não há viva alma,de não poder telefonar nos finais de semana,de andar longe no shopping,de beijar na boca só em entradas ermas de motel,de me esconder,de ser a "outra",de não ser de ninguem...
Essa separação sua não acontece nunca,sua mulher vive doente não sara nunca,vc tá sempre inventando desculpas,tô cansada,cheia,paciência tem limite.
MÁRIO AUGUSTO- Cristiane Cristina,DESDE O COMEÇO VC SABIA QUE EU ERA CASADO!

Essa frase deixaa gente com suspensão,roda e os quatro pneus arriados...Claro que sabíamos que ele era casado,apenas acreditamos que ele iria se separar...
Se durante as respostas,que nos fazem sentir além de tolas,algum dispositivo luminoso fosse acionado perante nossa indignação...com certeza iluminaríamos o MARACANÃ!!!!!!!!!

É isso amigas...bem resumidamente,em poucas palavras,as desculpas são mais ou menos essas perantes os problemas que são também parecidos.As queixas podem até ser um pouco diferentes,mas as respostas deles...essas são idênticas!!!!!!!!
Devemos portanto ser realistas...eles raramente largam as esposas e se sua vontade é ser esposa,arrume um homem solteiro!!! ou viúvo...
E se continuar amante tá de bom tamanho,esqueça datas,promessas,finais de semana,feriados e faça de conta que acredita que vc acredita que é mais importante que ela,ou seja,mais importante que a esposa...
"AMANTE OU NAMORADA"

Entrevista com Dra Olga Inês Tessari

(suas respostas estão registradas de acordo com a Lei de Direitos Autorais)

Publicada no site Transanet – Rede Transamérica

por Andrea Cippiciani

"Prefiro ser amante a namorada"

Quem já não ouviu falar que há mulheres que preferem ser amantes? Mas quais seriam os motivos? Será que a outra prefere esse papel por causa da liberdade,ou para não ter obrigações? O Transanet entrevistoua psicóloga e psicoterapeuta Dra. Olga Inês Tessari para saber se essa preferência existe mesmo, como as amantes pensam e se elas sofrem com esse tipo de relação.

Confira!

Transanet: É verdade que existe mulheres que preferem homens comprometidos?

Dra. Olga Tessari: Algumas mulheres tem preferência por homens comprometidos por vários motivos, até porque elas também já são comprometidas ou porque procuram uma pessoa de mais idade, um homem apenas para uma aventura, experimentar ou por carências.

Transanet: Por que isso acontece?

Dra. Olga Tessari: No caso delas serem comprometidas, relacionar-se com este tipo de homem é muito mais confiável porque, elas sabem (ou imaginam) que eles não as prejudicarão de alguma forma. Por exemplo, ligando em horários inadequados, fazendo exigências de encontros no final de semana, fazer quaisquer cobranças.

Transanet: A mulher que prefere ser amante sofre?

Dra. Olga Tessari: Depende. Se ela assume que nunca o terá sempre à sua disposição (tal como seria com um homem descompromissado) ela não sofrerá, mas a grande maioria delas espera que ele termine seu relacionamento com a companheira para ficar só com ela. Então elas sofrem muito por não conseguirem tê-lo só para elas.

Transanet: Procurar sempre homens comprometidos pode ser uma defesa?

Dra. Olga Tessari: Pode ser uma defesa para não se envolverem totalmente com alguém. Uma defesa criada, muitas vezes, por causa de outros relacionamentos mal sucedidos.

Transanet: Existe o sentimento de culpa nessa relação?

Dra. Olga Tessari: Depende de cada caso. Mas na maioria não há culpa, até porque, se ela houvesse, este relacionamento tenderia a esvaziar-se e acabar.

Transanet: A outra tem sempre esperança de virar a titular?

Dra. Olga Tessari: SEMPRE!!!

Transanet: A maioria das amantes sente ciúmes da relação estável do parceiro?
Dra. Olga Tessari: Sim. Porque no fundo todas elas esperam ser titulares, que eles terminem sua relação estável para ficarem só com elas.

Transanet: É possível que a terceira pessoa ajude a relação? O namoro pode melhorar após a traição?

Dra. Olga Tessari: Sim. Na maioria das vezes é inevitável a comparação entre a titular e a outra e isso pode fortalecer o relacionamento estável ou então, já que o que faltava no relacionamento estável está sendo preenchido pela terceira pessoa, é possível manter o casamento/namoro. Neste caso, o parceiro estável torna-se um grande amigo, companheiro.

Transanet: A amante não é sempre uma ilusão?

Dra. Olga Tessari: Isso me faz lembrar aquela velha história. Enquanto o casal namora, tudo corre às mil maravilhas. Mas é a rotina mal administrada que gera descontentamento. Todo casal deve ter um tempo para continuar a namorar, a fazer as mesmas coisas que fazia enquanto namorava ou seja, manter a chama do amor e do tesão que, com a rotina do dia a dia, acabam enfraquecendo.

Transanet: Quando a amante vira titular essa relação continua dando certo?

Dra. Olga Tessari: Só dará certo se ambos lutarem por manter o clima de namoro e evitarem de cair na rotina.

(OLGA INÊS TESSARI-psicóloga e psicoterapeuta)
:):)Homens e mulheres funcionam de maneiras diferentes.Qdo a mulher trai,trai porque se apaixonou e o homem,trai por sexo e tbm para se auto-afirmar!!O ideal seria que não acontecesse...:)

Ele não vai deixar a mulher

Blog de anaguevarameirise :UMA LENDA NA PRINCESA DO SERTÃO..., Ele não vai deixar a mulher
Acreditar em promessa e não na própria necessidade é o primeiro
 passo para
sofrer nos complicados relacionamentos extraconjugais
Carina Martins, iG São Paulo
Se tem uma coisa que ofende os apaixonados é tirar a singularidade de seu
 caso de amor, que sempre parece tão único. Mas quando "o casamento
dele está em crise" é mais ouvido do que a música-tema do casal, fica
 difícil não encarar o fato de que se está em uma situação clichê. O que
não seria problema nenhum, especialmente em se tratando de relacionamentos
amorosos, quando a repetição parece tão única, para sorte de quem vive de
 vender comédias românticas e canções de amor. O problema existe quando
 há uma dissonância entre o que um dos parceiros deseja e o que o o outro
está disposto a oferecer. O que é quase sempre a regra no caso das amantes.
 "Com raríssimas exceções, que geralmente acontecem quando a mulher
também é casada, a outra sempre tem o desejo, ainda que secreto, de ser
 a única", diz a psicóloga especializada em relacionamentos Marília Terra.
 "E, na minha experiência, isso acontece muito pouco".
  Amantes sofrem com esperança e autoengano
Casais podem sim se apaixonar quando um dos parceiros está comprometido e
 mesmo assim darem certo. Acontece. Há muito pouco que não aconteça quando
o assunto é relacionamento. Mas casos extraconjugais em que ela espera tudo e ele
oferece muito pouco são bem mais comuns, e uma grande fonte de sofrimento
 para mulheres. Talvez não à toa a expressão "A Outra" não seja "A Futura".
Amantes esperançosas formam um universo vasto em que de oficiais não
 existem nem estatísticas, mas que é perceptível a ponto de gerar demanda
para publicações como o recém-lançado "Será que ele vai mesmo deixar
a mulher?" (Ed. Best Seller), da terapeuta norte-americana Rona B.
Subotnik. No livro, a autora propõe situações para que a leitora tente
encontrar, nos diferentes estágios do relacionamento retratado, aquele
em que o dela se encaixa melhor e, a partir daí, avaliar se o caso tem
 futuro - e que tipo de futuro é esse. Entre outras coisas, ela cria listas
 de sinais para que as mulheres descubram, por exemplo, se o que elas
 consideram amor é considerado pelo parceiro apenas uma aventura.
 No rol de sintomas, estão coisas como: "você sabe que ele mente para
 você", "ele desaparece por semanas" e "ele mentiu ou tentou esconder
seu estado civil".
Para Marília, se um dos parceiros precisa procurar sinais ocultos
 para tentar descobrir a natureza da relação, a coisa já não vai muito
 bem. "Um relacionamento amoroso, qualquer que seja sua configuração,
 precisa de confiança e respeito mútuos para funcionar de forma saudável
. Se apegar demais a pequenas interpretações parece um bom caminho
 para o autoengano", diz. Ela acredita, no entanto, que esse tipo de
 publicação pode ajudar a dar perspectiva para mulheres que
 encontram no texto semelhanças com o que vivem e diferenças
 em relação ao que esperam. Em outras palavras: que ouvem de
 fontes imparciais que a coisa não vai terminar necessariamente em final feliz.
Vale-tudo
"Algumas mulheres, especialmente quando estão apaixonadas,
 nem consideram a possibilidade de estabelecer limites. Diante
 da oportunidade de viverem uma ideia de amor romântico,
abrem mão dos próprios desejos e necessidades em troca de
 muito pouco", explica Marília. Isso quer dizer que, mesmo que
a amante sonhe ainda em ser a única, muito rapidamente isso
 pode se tornar uma questão secundária, quando "estar com
ele" é tudo o que importa. O resultado costuma ser doloroso para elas.
Foi o que aconteceu com a sergipana Vivi Souza, 20.
 Ela conheceu um homem com o dobro de sua idade
 em um chat. "Estava solteira e carente. Ele me ligava o
 dia inteiro, mandava mensagens, virava noites na intenet
conversando comigo. Foi me conquistando aos poucos", conta.
Depois de alguns encontros reais, ele contou que era casado
 e tinha um filho. "Aí já estava apaixonada. Fiquei horrorizada,
mas aceitei a situação".
Vivi conta que no começo acreditou que ele ia se separar.
 "Ele me tratava como uma boneca de porcela, uma princesinha.
Muitos cuidados e carinhos, fazia tudo que eu queria". Mas,
ao longo dos quatro meses em que ficaram juntos, isso deixou
 de ser condição para o romance. "Eu realmente sempre quis
 estar no lugar da esposa. Mas aceito. O importante é ficar com ele".
Ao longo do curto caso, a esposa do amante de Vivi descobriu o
 relacionamento. Ele terminou o caso algum tempo depois,
 segundo Vivi por outros motivos, como stress e falta de tempo.
 Ela continua apaixonada, e diz que sofre muito.. "Quero evitar o
máximo me apaixonar novamente, ainda mais por homem casado.
 Mas, se acontecer, fazer o quê? Acho que poderia sim ser feliz
 com um homem que não fosse só meu. A felicidade está dentro de nós",
 acredite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário